A beleza salvará o mundo

Que Deus nos ajude a perseverar na busca da beleza que é o rosto de Deus, que tenhamos neste ano paz e muito trabalho, para que possamos vencer na verdade e na justiça, os desafios do dia a dia.



A beleza salvará o Mundo.

Dostoeviski.



domingo, 26 de agosto de 2012

Nossa Senhora da Escada e o Yeshua


                          O PROJETO
  
A CAPELA  

                         

A OBRA REALIZADA

                             

domingo, 12 de dezembro de 2010

O Senhor é meu Pastor

EU SOU O BOM PASTOR, E DOU A VIDA PELAS MINHAS OVELHAS.











Salmos, 22

1. Salmo de Davi. O Senhor é meu pastor, nada me faltará.

2. Em verdes prados ele me faz repousar. Conduz-me junto às águas refrescantes,

3. restaura as forças de minha alma. Pelos caminhos retos ele me leva, por amor do seu nome.

4. Ainda que eu atravesse o vale escuro, nada temerei, pois estais comigo. Vosso bordão e vosso báculo são o meu amparo.

5. Preparais para mim a mesa à vista de meus inimigos. Derramais o perfume sobre minha cabeça, e transborda minha taça.

6. A vossa bondade e misericórdia hão de seguir-me por todos os dias de minha vida. E habitarei na casa do Senhor por longos dias.



Já no antigo testamento vemos a figura do bom pastor, por ser uma figura extremante importante na vida de um povo nômade que vivia essencialmente da criação de ovelhas,

Pois delas retirava a lã, o leite, a gordura, e a carne, daí a importância do pastor de ovelhas, profissão que se aprendia desde criança por se tratar da sobrevivência da família. Lembremos de Jacó que vai cuidar das ovelhas de seu sogro por ter se casado com lídia trabalha três anos e depois parte com um rebanho enorme que conquistou para si durante a permanência junto de seu sogro, notemos que era a moeda corrente da época.

Jesus no novo testamento da uma nova visão sobre o bom pastor, Ele mesmo se revela como o bom Pastor, em João cap. 10 Jesus diz Eu sou o bom Pastor.



São João, 10

1. Em verdade, em verdade vos digo: quem não entra pela porta no aprisco das ovelhas, mas sobe por outra parte, é ladrão e salteador.

2. Mas quem entra pela porta é o pastor das ovelhas.

3. A este o porteiro abre, e as ovelhas ouvem a sua voz. Ele chama as ovelhas pelo nome e as conduz à pastagem.

4. Depois de conduzir todas as suas ovelhas para fora, vai adiante delas; e as ovelhas seguem-no, pois lhe conhecem a voz.

5. Mas não seguem o estranho; antes fogem dele, porque não conhecem a voz dos estranhos.

6. Jesus disse-lhes essa parábola, mas não entendiam do que ele queria falar.

7. Jesus tornou a dizer-lhes: Em verdade, em verdade vos digo: eu sou a porta das ovelhas.

8. Todos quantos vieram antes de mim foram ladrões e salteadores, mas as ovelhas não os ouviram.

9. Eu sou a porta. Se alguém entrar por mim será salvo; tanto entrará como sairá e encontrará pastagem.

10. O ladrão não vem senão para furtar, matar e destruir. Eu vim para que as ovelhas tenham vida e para que a tenham em abundância.

11. Eu sou o bom pastor. O bom pastor expõe a sua vida pelas ovelhas.

12. O mercenário, porém, que não é pastor, a quem não pertencem as ovelhas, quando vê que o lobo vem vindo, abandona as ovelhas e foge; o lobo rouba e dispersa as ovelhas.

13. O mercenário, porém, foge, porque é mercenário e não se importa com as ovelhas.

14. Eu sou o bom pastor. Conheço as minhas ovelhas e as minhas ovelhas conhecem a mim,

15. como meu Pai me conhece e eu conheço o Pai. Dou a minha vida pelas minhas ovelhas.

16. Tenho ainda outras ovelhas que não são deste aprisco. Preciso conduzi-las também, e ouvirão a minha voz e haverá um só rebanho e um só pastor.

17. O Pai me ama, porque dou a minha vida para a retomar.

18. Ninguém a tira de mim, mas eu a dou de mim mesmo e tenho o poder de a dar, como tenho o poder de a reassumir. Tal é a ordem que recebi de meu Pai.

19. A propósito dessas palavras, originou-se nova divisão entre os judeus.

20. Muitos deles diziam: Ele está possuído do demônio. Ele delira. Por que o escutais vós?

21. Outros diziam: Estas palavras não são de quem está endemoninhado. Acaso pode o demônio abrir os olhos a um cego?

Então o nosso bom Pastor esta colocado no centro do presbitério como centralizador de nossa fé e como Ele é o verdadeiro pastor é a Ele que devemos seguir, olhando para as ovelhas percebemos que todas estão voltadas para Ele, como que ouvindo o que Ele quer dizer.

Quem cria ovelhas sabe bem o que significa este painel, quando o pastor vinha com seu rebanho para o aprisco onde passariam a noite eles juntavam as ovelhas num só lugar, e quando amanhecia o pastor tocava a sua flauta e as chamava, as ovelhas que pertenciam aquele pastor juntavam-se todas ao redor dele, nenhuma se quer de outro rebanho se levantava para segui-lo. Junto com estas ovelhas temos a ovelha ferida que o bom pastor deixando as noventa e nove no aprisco vai em busca daquela que se perdeu e encontrando-a coloca nos ombros e reconduz para o aprisco.

Esta ovelha somos nós, Deus vendo-nos perdidos vem em busca dos que eram seus,e pelo se filho querido o Bom Pastor que se tornou a porta do redil ele nos reconduz ao seu rebanho

O que é passar pela porta que é Jesus? No batismo somos inseridos no corpo do senhor isto é passamos por ele que é a porta e somos admitidos no reino dos céus, e nos tornamos filho de Deus, e possuindo a vida que é Jesus que disse: Eu vim para que tenham vida e vida em abundancia. Esta vida em abundancia é a vida eterna que adquirimos em Jesus por sua morte e ressurreição, Ele se colocou no lugar da ovelha ferida, e ferido de morte, nos livrou da morte.

Jesus ferindo a si mesmo curou nossas feridas, como o bom pastor que coloca a ovelha sobre os ombros para reconduzi-la para casa, Jesus coloca a cruz nos seus ombros carregando toda a humanidade ferida pelo mau de seus pecados como a ovelha que se perdeu do rebanho a humanidade andava como ovelha sem pastor, Jesus mesmo usou esta frase quando disse ao pai que éramos como ovelha sem pastor, este olhar de misericórdia de Jesus olhando-nos como filhos de Deus é que nos salvou. Deus veio buscar aquilo que era Dele e sabia que tínhamos sido enganado pela sedução do mundo pelo egoísmo pela ganância, e pelo pior, queríamos ser Deus de nos mesmos.

Acho que não estamos muito distantes de novo desta realidade. Olhamos a nossa volta quantos deuses já criamos para nos servir, sendo o contrario de Jesus que veio para servir e não ser servido, mesmo nas igrejas, temos naquela igreja um Deus que cura, na outra um Deus que arranja emprego na outra um Deus que me da fortuna e promete tudo o que quero e preciso. Aonde esta o Deus de Nosso Senhor Jesus Cristo o bom pastor que no meu batismo me comprometi a prestar-lhe culto e adoração e no mais ser seu amigo e irmão deixando de ser escravo, onde Jesus diz: não vos chamo de servos mas, sim de amigos, me chama a atenção que nas igrejas já tem uma coisa com um crachá dizendo servo, se Jesus nos reuniu como irmãos será que não convinha estar escrito, sou teu irmão bem vindo filho querido e amado de Deus, entra pela porta das ovelhas e se junte ao rebanho do senhor, Pois Ele preparou bem a vista dos teus inimigos uma mesa e o seu cálice transborda. Não estou dizendo que Deus não faz estas coisas, a escritura diz que Deus sabe de tudo o que precisamos antes mesmo que lhe pedimos a viúva impertinente insiste até ser atendida por aquele juiz, mas permanece ali e não vai em busca de outro porque ela sabia que somente aquele podia lhe fazer justiça. Convenhamos ta na hora de criarmos vergonha na cara e assumir nossa fé em Jesus Cristo e na igreja que pertenço, e deixar de correr atrás de Pastores que são mais curandeiros do que pastores. Não são estes que não entram pela porta como Jesus diz? Não são estes os que como ladrões vêm para assaltar ferir e machucar as ovelhas exigindo a lã e o leite em forma de dizimo? E tendo estes conseguido o que querem enquanto lhes pagam pela cura ou pela graça do emprego assim lhes mantem refém de suas pregações com ameaças de desgraças, caso não lhes de a parte que lhes convêm. Logo que estes não mais podem lhes pagar o tributo imposto por eles os abandona como infiel.

Infiel a eles mas, não de Deus porque estes são ladrões e salteadores que vem para roubar e saquear os filhos de Deus que na boa fé são levados a estes locais e são por sua vez aprisionados por pessoas que inescrupulosamente se utilizam do sagrado para surrupiar os bens dos pobres.

Logo abaixo temos os verdes prados onde o Senhor me leva a descansar, e as águas refrescante me conduz e restaura as minhas forças estas águas ao qual o Senhor me conduz é a eucaristia onde renovo as minhas forças e posso descansar, também sobre os pastos verdejantes da minha comunidade que me auxiliara no momento da fome e da sede.

A tenda é a igreja onde o senhor reúne as suas ovelhas e as deixa ali enquanto vai á procura daquela que esta perdida. Vejamos o Senhor saiu à procura da ovelha perdida não é! E quem cuida das que ficaram no aprisco? Entre os pastores era eleito um entre eles para ficar de guarda enquanto os outros dormiam, estes são os nossos pastores que Deus confiou a sua igreja, eles fazem às vezes do Cristo entre o rebanho até que chegue o verdadeiro bom pastor que reunira todos num só rebanho e teremos um só pastor.



Do lado esquerdo temos a capela do santíssimo junto com o desenho de uma espécie de bananeiras bem simples onde as folhas que se levantam para o céu, assim também nossa mãos erguidas a Deus passam conduzir nossa oração aquele que está sentado ao trono e que digno de receber a honra o louvor a gloria e o poder pelos séculos dos séculos amem. No centro temos um rio que desce é para significar que Deus nos ouve e vem até nos, pois assim o quis quando nos criou para seu deleite e alegria. A gloria de Deus é o homem vivo, a gloria do homem é Deus.









À direita temos então nossa padroeira N.Sra. do bom parto.

Como o seu nome já diz é quem nos auxilia nos momentos difíceis de nossa vida, creio que um nome bem sugestivo, sendo ela quem nos deus o autor da vida, assim quem trouxe a vida no seu seio ampara aquelas que vão dar a luz a mais um filho de Deus, aos que nascem em lar cristão já é uma festa no céu aqueles que nascem num lar cuja fé somente Deus conhece a sempre a esperança que um dia Deus ira chamá-lo para si.

Logo abaixo temos a arvore da vida, assim como no paraíso perdemos a vida pelo fruto da desobediência agora na nova Eva (Maria) pela sua obediência a vontade de Deus somos vivificados e reintroduzidos no paraíso da vida cujo fruto podemos saborear na mesa da eucaristia, na espera daquele em que o veremos face a face.



Joinville 05-de dezembro de 2010

Artista Plástico João Zabel.

sábado, 30 de outubro de 2010

Eis que pus minha tenda em meio aos homens.

                                                     O Cristo Pantocrator


                            


O Cristo Pantocrator significa Senhor do Universo e está localizado no centro do presbitério, como centralizador de nossa fé.

A fé católica é Cristo centrica. Não há nenhum outro nome sob o sol, ou nas profundezas da terra pelo qual possamos ser salvos, a não pelo nome de Jesus Cristo. Eu sou o caminho, a verdade a vida, ninguém vai ao Pai senão por mim.

Seu posicionamento assentado sobre o trono, vindo como por sobre as nuvens está descrito em Apo. 4- 5. A mandórla que vemos em torno representa a porta do céu descrita no Apocalipse com o sol, a lua, as estrela, as águas com os peixes, a chuva, enfim toda a criação de Deus. Representa que é nesta realidade que Deus se encarnou, morreu e ressuscitou. Ele que governa os vivos e os mortos como Rei e Senhor do universo.

Temos no alto de sua cabeça o pentagrama que vem do grego e quer dizer: Eu sou aquele que sou: o nome de Deus Adonai.

Em sua mão vemos um livro que segundo o Apocalipse, somente Jesus era digno de abrir os selos e revelar os mistérios vindouros (Apo. 5).

Ao olharmos em sua mão direita vemos o símbolo da grande benção onde os dois dedos juntos significam: Jesus Deus e Homem, os outros três dedos unidos a Santíssima Trindade e o punho onde todos os dedos se juntam e não perdem sua função (um único Deus). Esta é a forma de abençoar corretamente.

Junto com as suas vestes está a estola como símbolo do sacerdócio real de Cristo. Jesus é rei e sacerdote segundo a ordem de Melquizedeq, (Pão e vinho).

As cores na iconografia (arte sacra) sempre estão em função de revelar as duas naturezas de Cristo: no vermelho está a divindade e no azul a humanidade já transfigurada e ressuscitada, então Jesus Deus, se revestiu de nossa humanidade e se fez igual a nós (menos no pecado).

O circulo claro atrás do Cristo, é o espaço sagrado onde Jesus irrompe no tempo e na historia, ocupando o centro do universo. Assim como o ovo possui a vida dentro de si, nesta forma circular também está aquele que é o autor de nossa vida e existência Eu sou a ressurreição e a vida. No próximo circulo temos a terra o nosso planeta com o cosmos e as estrelas onde temos apoio de seus pés. Que no Salmo 109,1 chama de escabelo de seus pés, referindo-se a passagem onde diz, até eu por teus inimigos por debaixo de teus pés. Logo acima de sua cabeça temos a mão do Pai cujo texto conhecemos bem. Onde no batismo de Jesus o Pai nos apresenta o seu Filho nas seguintes palavras, este é o meu filho amado em quem eu me comprazo Mat.3,16-17. Vemos que junto à mão do Pai temos um céu onde vemos somente a mão de Deus que também num gesto forte parece romper o cosmo, à atmosfera, as nuvens e vir até nós através do espírito Santo, que repousa sobre Jesus, porque o Pai não se revelou numa aparição por completo a nós? Bem segundo as escrituras, ninguém pode ver a Deus e continuar vivo. Ainda não se tinha completado as escrituras Jesus estava sendo revelado pela primeira vez abertamente pelo pai e só depois de sua morte e ressurreição pela ação do Espírito Santo, é que veríamos o rosto do Pai através de Jesus, Felipe pede a Jesus revela-nos o Pai e isto
basta, Jesus responde, Felipe quem me vê, vê o Pai, e à tanto tempo estais comigo e não me vês?

Junto com toda esta revelação temos um caminho que do alto do céu junto com o Pai vem ate nós, fazendo-nos recordar a tenda de reunião que no formato da parede já nos lembra sob sua forma uma tenda colocando-nos diante da figura, que na pessoa de Jesus se torna realidade. Seguindo este caminho passa por Jesus, e chega até o altar a outra porta do céu, que Jesus deixou para nós, Na epiclese no momento da consagração o céu se abaixa até nós e a terra se eleva até o céu, não existindo mais realidades separadas, céu terra e isto graças ao altar que é o próprio Cristo entre nós, lembremos que Jesus é o intermediador entre o Pai e nós, e de novo para que isto aconteça entre nós Jesus é a fonte da revelação onde podemos ir até o Pai, e o Pai pode vir até nós pois temos um mediador entre Deus e os homens, e com esta certeza quando a porta do altar se abrir no momento da consagração em espírito e verdade é hora de adorar o todo poderoso e de pedir toda graça e benção do céu. Na base do altar temos então a arvore da vida relembrando o paraíso onde Adão e Eva comeram o fruto proibido e nos condenaram a morte mas Deus fez o homem para estar vivo em sua presença, onde a felicidade de Deus é o homem vivo e a felicidade do homem é Deus.

Então o que era fruto da morte agora pelo novo adão gerado no ventre da nova Eva Maria, temos no meio de nós no paraíso do altar o fruto da vida, vemos como tudo está relacionado e de novo o altar porta do céu é também o paraíso perdido por Adão e Eva, onde podemos nos alimentar e permanecer vivo para a felicidade de Deus, e para nós alegria para louvar e bendizer junto com todos os anjos e arcanjos que sem cessar diante do trono junto com todos Santos não cessam de adorar dia e noite dizendo Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus do universo a Ele o louvor, honra, e gloria para sempre Amém.

Saíndo então do centro da obra vamos como que levados por esta onda em espécie de flor que se abre a medida que se afasta do altar, isto quer dizer que a nossa missão de levar aos nossos irmãos o que recebemos na mesa da comunhão esta intimamente ligada ao mistério da missão de ir até o outro, estar sempre aberto como esta flor ao que está do meu lado exige muita presença a mesa da eucaristia e da porta do céu onde posso experimentar o paraíso e adorar o Pai em espírito e verdade, enchendo o meu vaso do óleo como fizeram as virgens prudentes, para que quando nos sobrevir a tentação de nos fechar como plantas carnívoras sobre os outros no egoísmo, na vaidade no ter no poder de querer dominar, devorando o leite e se aquecendo com a lã das ovelhas, mais pobres, e assim que não nos interessa mais ou deixa de prestar um serviço em nossa comunidade, abandonamos aos lobos no momento da dificuldade negando-lhes o que recebemos em abundancia na porta do céu no paraíso da vida em comunidade.

Que esta flor seja o símbolo desta comunidade, que o egoísmo a mesquinhez, a ignorância do sagrado, jamais faça parte de nossa história, que possamos acolher a todos, principalmente a ovelha perdida que quer e precisa voltar Amem.


sit nomem Dominni benedictum



Art. Plástico João Valdecir Zabel


Joinville 07 de Agosto de 2010.

Assim que der irei editar as fotos da ogra já pronta







terça-feira, 27 de julho de 2010

Texto explicativo e simbologia do projeto de pintura Matriz S. Terezinha de imbituba SC


Nossa fé católica é Cristo centrica. Não há nada mais sob o sol, ou nas profundezas da terra pelo qual possamos ser salvos. Eu sou o caminho, a verdade e a vida, ninguém vai ao Pai senão por mim.


O Cristo Pantocrator significa Senhor do Universo e está localizado no centro do presbitério, como centralizador de nossa fé. Seu posicionamento assentado sobre o trono, vindo como por sobre as nuvens está descrito em Apo. 4- 5. A mandórla que vemos em torno representa a porta do céu descrita no Apocalipse com o sol, a lua, as estrela, as águas com os peixes, a chuva, enfim toda a criação de Deus. Representa que é nesta realidade que Deus se encarnou, morreu e ressuscitou. Ele que governa os vivos e os mortos como Rei e Senhor do universo. O sol representa o cântico do Benedictum, o sol nascente que nos veio visitar. Isto quer disser que tudo está submetido ao Senhor da glória.

Temos no alto de sua cabeça o pentagrama que vem do grego e quer dizer: Eu sou aquele que sou: o nome de Deus Adonai.

Em sua mão vemos um livro que segundo o Apocalipse, somente Jesus era digno de abrir os selos e revelar os mistérios vindouros (Apo. 5).

Ao olharmos em sua mão direita vemos o símbolo da grande bênção onde os dois dedos juntos significam: Jesus Deus e Homem, os outros três dedos unidos a Santíssima Trindade e o punho onde todos os dedos se juntam e não perdem sua função (um único Deus). Esta é a forma de abençoar corretamente.

Junto com as suas vestes está a estola como símbolo do sacerdócio real de Cristo. Jesus é rei e sacerdote segundo a ordem de Melquizedeq, (Pão e vinho).

As cores na iconografia (arte sacra) sempre estão em função de revelar as duas naturezas de Cristo: no vermelho está a divindade e no branco a humanidade já transfigurada e ressuscitada, então Jesus Deus se revestiu de nossa humanidade e se fez igual a nós (menos no pecado).

O circulo azul é o espaço sagrado onde Jesus irrompe no tempo e na historia ocupando o centro do universo, assim como o ovo possui a vida dentro de si, nesta forma circular também está aquele que é o autor de nossa vida e existência. No circulo verde temos a terra o nosso planeta com o cosmos e as estrelas onde temos apoio de seus pés. Que no Salmo 109,1 chama de escabelo de seus pés, referindo-se a passagem onde diz, até eu por teus inimigos por debaixo de teus pés. Logo acima de sua cabeça temos a mão do Pai cujo texto conhecemos bem. Onde no batismo de Jesus o Pai nos apresenta o seu Filho nas seguintes palavras, este é o meu filho amado em quem eu me comprazo Mat.3,16-17.

Á direita do Cristo temos as virgens prudentes que na parábola em Mateus 25,1-13 nos relata uma viagem que dez virgens fizeram para ir ao encontro do esposo levando suas lâmpadas se puseram a caminho, tardando o esposo todas adormeceram, derrepente, ouviu-se um clamor, eis o esposo ide ao seu encontro.


Tomando a suas lâmpadas as imprudentes perceberam que estavam sem óleo e disseram as outras reparte-nos do teu óleo para que possamos também nós, irmos ao encontro do esposo, ao que responderam as outra virgens, é melhor irdes comprar porque não temos para nós e para vós, nisto chegou o esposo e as que estavam esperando entraram com ele a sala das bodas e a porta foi fechada.

Quando chegaram as outras virgens elas disseram Senhor, Senhor Abra-nos a porta e Ele respondeu não vos conheço.

Estas virgens representam a igreja que somos todos nós cuja vigilância jamais podemos esquecer, e poderia-mus perguntar a nós mesmos como está a nossa lâmpada, e a nossa reserva de óleo para a viagem de peregrinação nesta vida? Chegaremos até o fim ou teremos que voltar para comprar dos outros, o que nós mesmos não fizemos no tempo oportuno. E vejam só mesmo que consigamos comprar aquilo que tinha-mus por obrigação fazer por nós mesmos não vai nos permitir a entrada, a porta estará fechada.

Porque o Senhor disse não vos conheço? É pelo seguinte o que tínhamos em mãos não nos identificava com nós mesmos, carregava-mus algo que não era nosso, tentamos comprar o céu no símbolo do óleo que não tínhamos em nossa reserva fomos aos mercadores isto é aos que vendem o engano na aparência da salvação, os falsos profetas as fábulas, as igrejas que vendem o milagre como salvação as mordomias de um mundo moderno, o esquecimento da fé da esperança e da caridade, o principal óleo do Cristão, e é assim que nos preparamos para nossa viagem, levamos tudo menos o que realmente importa.

Para o alpinista poder chegar ao topo de uma montanha a cada etapa da escalada é preciso deixar alguma coisa de lado para poder superar o obstáculo seguinte, mas não pode deixar de lado a comida necessária e escolhida para ir até o fim sem contar com a reserva de oxigenio que ira permitir que ele chegue ao topo da montanha, veja as virgens prudentes diz a escritura levaram vasos de óleo de reserva o incomodo e o cansaço de transportar os vasos não as desanimaram, pois sabiam que depois iriam descansar nos braços do esposo.

Coloco então a virgem Maria que disse o seu sim e não deixou que a sua lâmpada se apagasse e gerou para nós o salvador.

Em seguida vem Santa Terezinha que com ardor sempre crescente manteve acessa a lâmpada do amor na caridade entre as suas irmãs almejando não menos do que o mundo missionário mantendo constantemente acesa uma chama de amor em seu coração por aqueles que se aventuravam em lugares nada tranquilo para anunciar o reio de Deus as vezes com a própria vida.

Aparece também a nossa querida Santa Paulina que em território Brasileiro soube manter acessa sua lâmpada, abrindo assim um caminho de santidade, levando consigo uma multidão ao reino dos céus, e até hoje o brilho de sua lâmpada ilumina uma multidão de virgens que a seguem ao encontro do esposo para as bodas, reservada a todos aqueles que não deixaram de acumular uma boa quantia de óleo da salvação em suas orações e sacrifício, no dia a dia da vida na realidade em que viviam e participava junto com os santos na celebração da Eucaristia, na meditação da palavra de Deus, e na caridade com os mais necessitados.

Do lado esquerdo temos então a figura das virgens imprudentes que já falamos acima que encontrando a porta fechada viram que o que foram comprar não permitiu que as mesmas pudessem entrar e participar da festa preparada para aqueles que vigilantes esperaram o senhor até o ultimo dia.



Atrás no painel estará inscrito a parábola das dez virgens imprimindo assim o valor da palavra com a figura que as representa, o que a palavra é para os ouvidos a imagem é para os olhos e ambas se completam.

Como havia prometido estou apresentando algumas fotos do início da pintura do painel da comunidade Santa terezinha de Imbituba Tubarão SC.


Primeiros passos da obra o desenho e as definições das cores de fundo
A obra começa a tomar forma

A simbologia a pesca milagrosa



A multiplicação dos pães em construção

As vestes do Senhor o cosmo

O Pontocrator com o evangelho e a estola símbolo do seu sacerdócio regio
                                                        O cristo em faze de acabamento
As virgens prudentes e as imprudentes ja tomam o seu lugar na obra

Maria mãe de Deus, Santa Terezinha, e Santa Paulina como virgens prudentes.




O Painel sera todo inscrito com a parábola das dez virgens.